Festa junina na escola: Qual a importância e como realizá-la?

Além de ser um espaço para o desenvolvimento de atividades lúdicas, esse festejo é uma valiosa fonte para que os professores ensinem conteúdos relativos a diferentes disciplinas.
O mês de junho é marcado por comemorações populares que acontecem em todo o Brasil. Esses festejos juninos enfatizam diferentes culturas, mostrando a diversidade do país, além de rememorarem trajetórias históricas e sociais de cada região brasileira.
Nessa perspectiva, mais do que fazer parte do calendário escolar, a realização da festa junina na escola é um elemento pedagógico importante para a formação dos estudantes.
Além disso, diversas características típicas dessa festividade, como a presença de costumes, danças, comidas e roupas tradicionais, contribuem para a desconstrução de certos estereótipos veiculados socialmente, ao mesmo tempo em que valorizam aspectos culturais do campo. Levando em conta esses e outros fatores positivos para o processo educacional dos alunos, vamos mostrar a importância da festa junina e como ela pode ser realizada na escola. Acompanhe!
Por que realizar uma festa junina na escola Além de ser uma das mais tradicionais festividades brasileiras, a festa junina é uma manifestação cultural relativa aos percursos históricos e sociais de diversas regiões do país. Portanto, além de ser um espaço para o desenvolvimento de atividades lúdicas, esse festejo consiste em uma valiosa fonte para que os professores ensinem conteúdos relativos a diferentes disciplinas, como geografia, história e artes. Além disso, a festa junina contribui para desenvolver habilidades socioemocionais nas crianças. Ao possibilitar a integração entre os alunos, essa festividade estimula competências importantes para a sociabilização, como a cooperação, a paciência e o respeito. O trabalho com elementos de culturas e regiões diferentes permite desenvolver a empatia e a noção de alteridade, bem como a tolerância dos estudantes.
Quais os principais benefícios de realizar uma festa junina na escola
A integração e a interação dos alunos. O planejamento e a realização de uma festa junina são atividades que requerem o engajamento dos alunos. É importante que eles se envolvam nas ações programadas para a festividade. Eles podem, por exemplo, participar da escolha das canções que comporão o repertório do festejo, das comidas que serão providenciadas e, claro, do ensaio da quadrilha. Outra possibilidade é que os estudantes ajudem os professores na preparação dos enfeites utilizados para a comemoração.
Essa ação em conjunto promove a integração dos alunos, que, ao trabalharem em equipe para concretizar tarefas relativas à festa, interagem e, assim, têm a oportunidade de desenvolver habilidades de socialização. As atividades lúdicas, como brincadeiras de lançamento de argolas, dança da cadeira e corrida do saco, também são fundamentais para fomentar a sociabilidade das crianças.
A desmistificação do homem do campo
Em razão do processo massivo de urbanização ocorrido no Brasil, é comum que muitas crianças — e até mesmo os adultos que fazem parte de suas famílias — tenham pouco ou até nenhum contato com pessoas que vivem no campo.
Esse distanciamento, associado a estereótipos geralmente veiculados pelas mídias, tendem a falsear as características e os comportamentos dos cidadãos que moram nas zonas rurais.
A festa junina é um momento valioso para desconstruir essa ideia, de modo a retirar os elementos caricatos do personagem caipira. O professor pode usar a preparação e a celebração desse festejo para mostrar a realidade do homem do campo.
É possível enfatizar a sua importância como produtor de alimentos não só para quem está no ambiente rural, mas, principalmente, para aqueles que estão fora dele, e como potencial preservador de recursos naturais.
A compreensão do sentido original da festa
A realização da festa junina na escola é uma oportunidade para que os alunos construam conhecimentos históricos, geográficos e culturais que dizem respeito às origens da festividade e à sua relação com a sociedade brasileira.
Nesse contexto, os professores podem utilizar o festejo como forma de mostrar a diversidade cultural do país, uma vez que as várias regiões têm formas e razões diferentes para realizar a comemoração.
Ao explicar o sentido original da festa junina, proveniente das celebrações de agradecimento pela colheita feita no meio do ano, o docente tem a chance de trabalhar com os estudantes aspectos históricos e culturais que são representados na festividade.
O professor pode mostrar que os elementos característicos da festa têm motivações associadas às trajetórias sociais dos nossos antepassados, cuja valorização é muito importante.
A inserção das competências e habilidades exigidas pela BNCC
A festa junina também pode ser o espaço para a inserção de competências e habilidades da Base Nacional Comum Curricular — BNCC —, as quais, segundo o documento, devem ser estimuladas tanto dentro quanto fora da sala de aula, incluindo os eventos e as atividades culturais promovidos pela instituição escolar.
Assim, a festividade precisa ir além da manifestação artística, abrangendo componentes curriculares, como história, artes, literatura e educação física.
Segundo a competência geral número 3 da BNCC, deve-se:
Valorizar e fruir as diversas manifestações artísticas e culturais, das locais às mundiais, e também participar de práticas diversificadas da produção artístico-cultural.
A partir disso, podemos identificar a compatibilidade de trabalhar a festa junina de acordo com tais princípios. Por sua natureza interdisciplinar, essa festividade permite a articulação de várias disciplinas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima